FEBRE AMARELA - Morte de mico em Lavras é investigada
10/02/2017 - 9h17 em Cidade

Dois saguis foram encontrados mortos em Lavras, eles foram recolhidos para exames. Foi constatado que um deles morreu em decorrência de curto-circuito, ele apresentava queimaduras pelo corpo e foi encontrado próximo a uma rede elétrica.

O segundo sagui, ou mico, como é chamado, foi analisado pelo departamento de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Lavras (Ufla), suas vísceras foram retiradas e guardadas em nitrogênio, elas serão enviadas amanhã, sexta-feira, dia 10, para Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A princípio não foram encontrados indícios de febre amarela, mas o segundo mico encontrado morto morreu em decorrência de alguma doença, que não foi detectada no exame preliminar. 

Os macacos não transmitem a febre amarela, eles são vítimas da doença. Quem transmite o vírus são fêmeas de mosquitos. Esses mosquitos precisam se alimentar de sangue para sobreviver e colocar seus ovos. Como costumam viver nas copas das árvores, onde também vivem os macacos, acabam se alimentando do sangue desses animais. Uma fêmea de mosquito infectada com o vírus, ao picar um macaco, acaba transmitindo o vírus ao animal, que adoece. E as fêmeas de mosquitos não infectadas quando picam um macaco doente, adquirem o vírus e passam a transmiti-lo para outros macacos. O homem pode ser picado por uma dessas fêmeas de mosquito infectadas e adquirir a doença.

 

jornaldelavras.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!